;
quinta-feira, 7 de maio de 2009


A bíblia diz em Isaías 53:5 o seguinte: "Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados."

Não é apenas este texto que relata da dor e o sofrimento de Jesus na cruz. A bíblia está cheia disto, ela foi escrita e divinamente guiada para que através de diversos pontos de vista, pudéssemos interagir com a realidade da época e entender o sacrifício do filho de Deus. Mas este versículo é especial, ele pode tocar meu coração de uma forma jamais testada em outros textos, ele tem o poder de reacender a imaginação e reviver momentos não presenciados pelos meus olhos, mas pelo espírito. É como se surgisse o calvário e a morte do meu senhor fosse “encenada” mais uma vez diante de mim. Entretanto, não me sinto apenas observador da cena, também estou pregado na cruz. Estou com Pedro, e Maria e os outros discípulos. Ainda choro diante dEle e vejo os pingos de sangue deixados na roupa de Simão Cireneu. Meu antigo “eu” (egoísta, cruel, sádico e mentiroso) estava lá, pregado na madeira segurando o meu salvador.

Assim que pretendemos entender a cruz no calvário, não como vergonha e tristeza, mas como agradecimento, pois com morte do nosso senhor é que hoje somos livres da morte. Por isso o nome Calvarium, para constantemente nos lembrar-nos da nossa origem.
Escrito por Allyson Benigno

1 comentários:

Nadyja disse...

Já dá para ser escritor teólogo ;)
Tem talento para isso :D